notícias

03
FEV
2013

BH tem a menor taxa de desemprego do Brasil

O índice de desemprego de 5,1% registrado em 2012 em Belo Horizonte é o menor dentre as sete principais regiões metropolitanas do país. Os dados divulgados na última quinta-feira compõem a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) realizada na capital pela Fundação João Pinheiro (FJP) em parceria com o Dieese.

O crescimento do nível ocupacional em 2012 foi observado em todos os setores analisados. Na Indústria de transformação, houve geração de 4.000 novos empregos (saldo após contratações e demissões), alta de 1,4% na comparação com 2011; Serviços teve alta de 1,5% (19 mil novos empregos); Construção Civil 7,9% (15 mil) e 2,7% no Comércio e Reparação de Veículos (11 mil novas vagas).

Na comparação com o ano de 2011, o rendimento real médio dos ocupados diminuiu 2,5% e o dos assalariados, 3,1%. Em 2012, a remuneração média dos ocupados ficou em R$ 1.460 e, a dos assalariados, em R$ 1.431. Entre os empregados domésticos, a remuneração média cresceu 14,2%.

Índice de Desemprego 2012

A taxa de desemprego no conjunto das sete regiões metropolitanas onde a Fundação Seade e o Dieese realizam a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) subiu para 10,5% em 2012, em comparação com os 10,4% de 2011. A PED é realizada nas regiões metropolitanas do Distrito Federal, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo.

O nível de ocupação nas regiões avaliadas cresceu 2% entre 2011 e 2012, ante alta de 2,1% na População Economicamente Ativa (PEA), ou seja, a geração de 384 mil postos de trabalho foi insuficiente para suprir a demanda de 449 mil pessoas, o que gerou um aumento de 65 mil pessoas desempregadas. O nível de ocupação cresceu 5,1% em Recife, 4,9% em Salvador, 3,3% no Distrito Federal, 2% em Belo Horizonte,1,5% em Fortaleza, 1,2% em São Paulo e apenas 0,7% em Porto Alegre.

Em 2012, o número total de desempregados foi de 2,329 milhões, o de ocupados, 9,797 milhões, e a PEA, 22,126 milhões.